Angola Oil & Gas 2022 vai discutir o mercado doméstico de FPSO

FPSO. oil & gas. bigstock

Como tal, a edição de 2022 da conferência e exposição Angola Oil & Gas (AOG) – o ponto de encontro oficial de Angola para empresas de petróleo e gás, decisores políticos e investidores, que terá como tema, ‘Promovendo uma Indústria de Petróleo e Gás Inclusiva, Atrativa e Inovadora em Angola’, de 29 de novembro a 01 de dezembro em Luanda – realizará painéis de discussão de alto nível, exposições e oficinas técnicas que fornecerão insights sobre as tendências do mercado FPSO do país, incluindo desafios e oportunidades do setor.

Os FPSOs de grande escala, incluindo Girassol no bloco 17 e Gimboa no bloco 4/05, atualmente em operação por todo o país, desempenharam um papel crucial na expansão das reservas, produção e monetização de petróleo e gás. No entanto, a maioria deles está “caminhando agora para um declínio irreversível”, segundo o último relatório da Câmara Africana de Energia (AEC), “The State of African Energy: 2023 Outlook”.

Com a produção de petróleo dos FPSOs, operacionais em Angola, caindo para menos de um milhão de barris de petróleo bruto por dia após 2023, de acordo com o relatório da AEC, o desenvolvimento e exploração de novos projetos e descobertas de petróleo e gás, como os projetos Cameia–Golfinho, CLOV 3 e Chissonga da TotalEnergies;  Palas, Astrea e Juno (PAJ) da bp; Agogo, Ndungu FFD e Quiluma/Maboqueiro da Eni; e Sanha Lean Gas da Chevron, serão fundamentais para aumentar a demanda e a penetração de novos FPSOs, bem como para melhorar a produção de hidrocarbonetos pesados.

bp, por exemplo, assinou em julho de 2022 um acordo com a empresa malaia Yinson para a reserva do navio Nganhurra FPSO para uso no desenvolvimento dos Campos de Petróleo PAJ no Bloco 31.

Além disso, com instituições privadas e públicas como a ANPG, Somoil e Sonangol implementando uma série de mecanismos, incluindo o lançamento de novas rodadas de licenciamento, destinadas a impulsionar a exploração e produção tanto em novos blocos quanto em campos marginais, o mercado para a implantação do FPSO em Angola deverá crescer significativamente nos próximos anos.

Além disso, como membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, Angola tem como objetivo maximizar o desenvolvimento e a monetização de seus 11 trilhões de pés cúbicos de reservas comprovadas de gás natural através do desenvolvimento de instalações de gás natural liquefeito (GNL) – acelerando assim o desenvolvimento de instalações offshore de GNL, como o projeto Angola GNL de 120 bilhões de dólares – em uma tentativa de aproveitar as amplas oportunidades de exportação de gás em todo o mundo. Como tal, a implantação do FPSO em todo o país tende a expandir.

Neste sentido, a AOG 2022, como o lugar onde são discutidos os assuntos de petróleo e gás de Angola, serve como a melhor plataforma para discutir as necessidades do FPSO do mercado, e para unir fornecedores, operadores e usuários locais e internacionais do FPSO para discutir o futuro do setor energético angolano. Com inovadores recursos de networking, a AOG 2022 se torna a plataforma ideal onde acordos podem ser negociados e assinados.

Share This Article

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on email

Other Reads

Onur Yilmaz

Onur Yilmaz

Subscribe below to stay in touch about the latest news and event updates

X
X